Banner 468x60
Banner 180x60
Bom dia.
Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 
 
 
Rir é o melhor remédio! (21/8/2012)
Por João Marcos Coelho

Deveria haver mais humor no universo da música clássica. Tirando Haydn e Mozart, honrosas exceções entre os compositores, o ambiente é muito pomposo, ritualístico. Ainda bem que nos bastidores e nas coxias dos teatros, entre as estantes e no meio dos ensaios e até nos concertos os músicos divertem-se muito com piadas das “internas”. Mas eles não costumam revelá-las.

Semanas atrás, ri muito com um “top ten” das piadas mais engraçadas envolvendo músicos, feita por Michael Zwiebach, editor do portal San Francisco Classical Voice (www.sfcv.org).  Ri muito é exagero. Deu pra rir em algumas delas.  Abaixo, vou reproduzi-las pra vocês e ao mesmo tempo lançar um desafio. Acho que temos piadas muito melhores de músicos circulando por este Brasilzão afora. Será que não dá pra fazer um top ten tupiniquim das 10 melhores piadas de músicos à brasileira? O desafio está lançado. Mandem, por favor, suas piadas ao nosso portal [para o e-mail info@concerto.com.br]. Prometo avaliar com rigor – e convocar até um júri especializado – para chegarmos às nossas campeãs.

Divirtam-se agora com as dez mais do SFCV:

1. O que você faz quando um músico bate à sua porta?
Dá-lhe 20 dólares e pega a pizza.

2. Por que um concerto de órgão é como uma experiência religiosa?
Porque no início sentimos a majestade de Deus e no final conhecemos sua Divina Misericórdia.

3. “Más notícias”, diz o delegado ao violista. “Enquanto você estava fora, o maestro veio à sua casa, botou fogo nela e matou tua família”. Violista: “O maestro veio até minha casa?!”

4. Herbert von Karajan e sua esposa entram em seus aposentos. Esposa: “Deus, como está quente aqui!” Karajan: “Querida, você pode me chamar de ‘Herbert’ quando estivermos sozinhos”.

5. Qual é a diferença entre uma orquestra e um touro?
No touro, os chifres estão na frente e o imbecil está atrás. 

6. Ao acordar de manhã depois de um show, um sanfoneiro percebe que esqueceu seu precioso instrumento no banco de trás de seu carro. Sai correndo pra rua e ao chegar percebe que seus piores receios se confirmaram: a janela está quebrada e duas sanfonas estão juntinhas no banco de trás.

7. Um músico liga para a sala da direção da orquestra e pede para falar com o maestro. A atendente diz: "Sinto muito, senhor, o maestro morreu na noite passada." Ele desliga e em seguida chama de novo. Faz o mesmo pedido. Ela repete a mensagem e diz: "Eu já te falei. Ele morreu ontem à noite. Por que você está ligando de novo?" "É que simplesmente eu adoro ouvir você dizer isso."

8. Se você estivesse perdido na floresta, a quem pediria informações: a um oboísta afinado, um oboísta desafinado ou ao Papai Noel? 
Ao oboísta desafinado; os outros dois são alucinações.

9. Como você consegue fazer dois percussionistas tocarem juntos em sintonia?
Atire em um deles.

10. Um baterista, cansado de ser ridicularizado pelos demais músicos, decide mudar de instrumento. Vai até uma loja de instrumentos musicais e pede ao balconista: "Me dá aquele trompete vermelho lá atrás… e também o acordeão acolá". Depois de um segundo, o balconista responde: "OK, você pode ficar com o extintor de incêndio, mas o radiador fica".

Vou revelar já meu voto: fico com a piada no. 4, do Karajan. E com esta, visual, grande sacada de Michael Zwiebach, editor do SFCV, que aqui reproduzo:






João Marcos Coelho - é jornalista e crítico musical, colaborador do jornal O Estado de S. Paulo e apresentador do programa "O que há de novo", da Rádio Cultura FM; é coordenador da área de música contemporânea da CPFL Cultura.

Mais Textos

Ópera de Dubai e Louvre Abu Dhabi: arquitetura e conceito – parte 1 Por Camila Frésca (22/1/2018)
Ópera de Dubai e Louvre Abu Dhabi: arquitetura e conceito – parte 2 Por Camila Frésca (22/1/2018)
Relativizações, realidades e transformações: um olhar sobre “A flauta mágica” do Theatro Municipal Por João Luiz Sampaio (23/12/2017)
A produção é boa, mas faltou mágica na “Flauta” do Municipal Por Nelson Rubens Kunze (23/12/2017)
O prazer de ouvir Neymar Dias – muito bachiano e muito brasileiro Por Irineu Franco Perpetuo (20/12/2017)
Uma temporada inclusiva, feita com inteligência Por João Marcos Coelho (19/12/2017)
Uma grande e despretensiosa sátira Por João Luiz Sampaio (8/12/2017)
A goleada da Argentina (e nem precisaram do Messi) Por Nelson Rubens Kunze (8/12/2017)
Museu virtual reúne milhares de instrumentos de coleções britânicas Por Camila Frésca (4/12/2017)
Karnal, a Osesp e o governador Por Nelson Rubens Kunze (24/11/2017)
Quem não trafega nas redes sociais se trumbica Por João Marcos Coelho (24/11/2017)
Budu e Hilsdorf: nasce um duo Por Irineu Franco Perpetuo (14/11/2017)
Três óperas Por Jorge Coli (7/11/2017)
Convocação de OSs para Emesp, Guri e Conservatório de Tatuí reforça torniquete financeiro do governo Por Nelson Rubens Kunze (3/11/2017)
Para onde nos levará a onda de censura no país? Por João Marcos Coelho (31/10/2017)
Os quartetos de cordas e a reavaliação da obra de Villa-Lobos Por Camila Frésca (30/10/2017)
O Brahms profundo e espontâneo de Nelson Freire Por Irineu Franco Perpetuo (25/10/2017)
Primeiras impressões sobre a temporada da Osesp Por João Marcos Coelho (29/9/2017)
Refinamento e inventividade em “Brazilian Landscapes” Por Camila Frésca (28/9/2017)
“Tosca” tem montagem competente no Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (28/9/2017)
Um “Nabucco” problemático no Theatro Municipal de São Paulo Por João Luiz Sampaio (26/9/2017)
Na estreia com a Osesp, Leonardo Hilsdorf encanta a Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (22/9/2017)
Festival de Ópera do Theatro da Paz faz bom “Don Giovanni” Por Nelson Rubens Kunze (19/9/2017)
Penderecki e Szymanowski: uma noite musical maior Por Jorge Coli (18/9/2017)
Novo fôlego para a ópera no RS Por Everton Cardoso (8/9/2017)
Wagner de boa qualidade, mas sem lirismo e vigor dramático Por Jorge Coli (4/9/2017)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Janeiro 2018 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3
 

 
São Paulo:

24/1/2018 - Espetáculo O compositor delirante

Rio de Janeiro:
24/1/2018 - José Carlos Vasconcellos - piano

Outras Cidades:
27/1/2018 - Ilhabela, SP - Balés O lago dos cines, de Tchaikovsky e Melhor único dia (estreia), de Henrique Rodovalho
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2018 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046