Banner 468x60
Banner 180x60
Bom dia.
Sexta-Feira, 28 de Abril de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes


 
 
 
As quatro fantasias para piano e orquestra de Mignone num só CD (26/11/2015)
Por João Marcos Coelho

Hoje vou chamar a atenção de vocês para um CD gravado em 2010 nos Estados Unidos, contendo, pela primeira vez, as quatro fantasias para piano e orquestra de Francisco Mignone. Até esta gravação pouco conhecida da pianista portuguesa Alexandra Mascolo-David, existiam apenas registros históricos. A primeira fantasia foi gravada por Bernardo Segal e a Orquestra da NBC com Toscanini nos anos 1940. Depois, João de Souza Lima registrou as duas primeiras, com Mignone regendo a OSB (1968). Em 1979, a pianista Maria Josephina Mignone gravou a Fantasia nº 3 regida pelo marido à frente da Orquestra Nacional da Rádio MEC. E em 2002, Clelia Iruzun gravou a mesma obra em 2002 em versão reduzida para cordas, com Odaline de la Martínez regendo o grupo Lontano.

Ora, quando se pode ouvir as quatro juntas pela primeira vez, vê-se logo que constituem obras importantes na vasta produção de Mignone. O fato é que é inestimável a iniciativa da pianista Alexandra Mascolo-David. Ela dedicou as últimas três décadas à pesquisa da música de Mignone, um compositor inexplicavelmente pouco tocado no Brasil. No exterior, como ela acentua no texto que assina no folheto interno do CD, sua música “é ainda praticamente desconhecida”.

Quem lhe sugeriu pesquisar Mignone foi o pianista português Sequeira Costa, seu professor. Alexandra gravou, em 2001 e 2007, as 24 Valsas de Mignone, por sugestão de Maria Josephina, viúva do compositor. E, em seguida, decidiu-se por este belíssimo projeto. Nenhuma delas está editada. Alexandra trabalhou três anos nos manuscritos e na prática estabeleceu uma edição crítica.

O resultado é magnífico. O CD foi gravado para o selo White Pine Music. Alexandra é acompanhada pela Kalamazoo Symphony Orchestra, regida por Raymond Harvey. Ela mesma escreve o texto no folheto interno do CD e define bem as fantasias: “Mignone inspirou-se na tradição folclórica afro-brasileira e triunfou ao combinar melodias africanas, indígenas, folclóricas, populares, e originais suas, com a complexidade e intensidade rítmicas características dos instrumentos de percussão”.

Todas são construídas em movimento único, e giram entre os 11 e os 13 minutos cada. Funcionam como concertos para piano e orquestra condensados, incluindo cadências solísticas. As duas primeiras, acentua Alexandra, possuem caráter mais melódico, enquanto as duas últimas apresentam “uma intensa atividade rítmica (...) exploração de motivos, de ostinatos obsessivos, de acordes e clusters brutais”. A quarta, segundo Alexandra, lembra Stravinsky em vários momentos.

Uma boa ideia, sem dúvida, seria convidá-la para solar estas fantasias em concerto no Brasil em 2016.

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.





João Marcos Coelho - é jornalista e crítico musical, colaborador do jornal O Estado de S. Paulo e apresentador do programa "O que há de novo", da Rádio Cultura FM; é coordenador da área de música contemporânea da CPFL Cultura.

Mais Textos

E Cristian Budu, finalmente, tocou com a Osesp! Por Irineu Franco Perpetuo (21/4/2017)
Olivier Toni Por João Marcos Coelho (20/4/2017)
“Uirapuru”, de Villa-Lobos: algumas considerações no centenário da obra Por Camila Frésca (12/4/2017)
Nasce uma estrela Por Jorge Coli (11/4/2017)
A festa do Concurso Maria Callas: competência e amor à música Por Jorge Coli (4/4/2017)
Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta “Jenufa”, de Janácek Por Nelson Rubens Kunze (4/4/2017)
“Risco” é vibrante imagem artística da cidade de São Paulo Por Jorge Coli (29/3/2017)
Quanto custa uma orquestra sinfônica? Por Nelson Rubens Kunze (28/3/2017)
De palmeiras e pinheirinhos nórdicos Por João Marcos Coelho (24/3/2017)
Opes abre temporada clássica no Theatro Municipal do Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (23/3/2017)
Sombra de sombra – a estreia da ópera “O espelho” Por João Luiz Sampaio (22/3/2017)
Helder Parente, talento infinito Por Rosana Lanzelotte (21/3/2017)
Trio Villani-Côrtes faz uma ótima estreia com “Três tons brasileiros” Por Camila Frésca (14/3/2017)
O valor da música (e a responsabilidade do Estado) Por Nelson Rubens Kunze (5/3/2017)
Um Brasil diferente ainda é possível Por João Marcos Coelho (22/2/2017)
Em clima de festa, Theatro Municipal de São Paulo abre ano com bom concerto Por Nelson Rubens Kunze (22/2/2017)
Sígrido Levental e o Conservatório do Brooklin (lembranças pessoais) Por Nelson Rubens Kunze (3/2/2017)
Sarau e livro recuperam a obra do violinista catarinense Adolpho Mello Por Camila Frésca (23/1/2017)
Nação civilizada (ou seria incivilizada?) Por Nelson Rubens Kunze (18/1/2017)
Diário de viagem Por Jorge Coli (16/1/2017)
Para conhecer Claudio Santoro Por Irineu Franco Perpetuo (23/12/2016)
Feliz Ano Novo? Por Nelson Rubens Kunze (23/12/2016)
Fim da Oficina de Curitiba: populismo da pior espécie Por João Marcos Coelho (20/12/2016)
Um retrato do Painel Funarte de Ensino Coletivo Por Camila Frésca (19/12/2016)
Aleyson Scopel faz ótima apresentação no Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (16/12/2016)
Em Porto Alegre, uma “Carmina Burana” para lembrar Por Everton Cardoso (15/12/2016)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Abril 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
26 27 28 29 30 31 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 1 2 3 4 5 6
 

 
São Paulo:

30/4/2017 - II SPHarpFestival

Rio de Janeiro:
29/4/2017 - Roberto de Regina - cravo

Outras Cidades:
29/4/2017 - Belo Horizonte, MG - Ópera Norma, de Bellini
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046