Retrospectiva 2018 – Cristian Budu (depoimento de dezembro de 2018)

por Redação CONCERTO 08/01/2019

Estamos vivendo um momento decisivo na área cultural, sobretudo no Brasil. Se o meio já precisava de um comprometimento maior de nossos músicos profissionais – não só fazendo o que aprendemos tecnicamente, mas entendendo nosso ofício num âmbito social –, agora isso será imprescindível. O Pianosofia é um projeto que quero desenvolver cada vez mais, principalmente pelo lado pedagógico – nos ensaios, os mais experientes guiam os iniciantes na música de câmara, e isso virou requerimento para que os músicos façam parte do projeto. Fui percebendo como os jovens músicos, mesmo os muito bons, ao trabalhar com música de câmara, têm um crescimento incrível. Outra frente do projeto é a recuperação de pianos: já temos uma parceria para afinar os instrumentos, mas muitos deles se encontram em estado crítico. Ainda sinto falta de ver a música de câmara no centro do aprendizado musical. Eu continuo em Berlim, mas sempre presente aqui. Em 2018, dois prêmios da Gramophone resultaram em dois convites para esse ano: um recital solo e outro de câmara no Festival de Verbier, em julho, e apresentações com o violinista Renaud Capuçon e um quarteto de cordas da Filarmônica de Berlim, em setembro. Antes, faço a abertura da temporada da Cultura Artística, em São Paulo, com Antonio Meneses, e gravo um CD com a Osesp tocando o Concerto de Schumann. No fim de 2018, toquei com a Orquestra de Ouro Preto em distritos ao redor da cidade e foi muito bom. Então, ao lado dessas apresentações impactantes, quero continuar tocando em lugares menores, tendo contato com a comunidade. Isso acaba sendo meu combustível, minha motivação.”

Cristian Budu, pianista e idealizador do projeto Pianosofia