Retrospectiva 2018 – Isaac Karabtchevsky (depoimento de dezembro de 2018)

por Redação CONCERTO 09/01/2019

“Frente à iminência de uma nova configuração no quadro político, a classe musical aguarda, com natural preocupação, as posturas que se formam em torno de um tema tão relevante. É conhecida a relação intrínseca entre as artes e  as inúmeras vertentes que, oriundas do poder, determinam seu caminho na sociedade. Não nos esqueçamos de que classes dirigentes podem validar ou destruir impulsos promissores na consolidação de teatros, orquestras e o fomento às instituições culturais. Só nos cabe tentar convencer todos os políticos de que o cartão de visitas de qualquer governo advém do respeito ao artista e do apreço às manifestações que, de forma organizada e duradoura, restauram a dignidade do ser humano. Nesse sentido, é importante insistir na manutenção das orquestras sinfônicas de cada estado brasileiro, dos teatros tradicionais ou emergentes e daqueles projetos sociais, ainda que poucos, que se constituem no futuro alvissareiro do Brasil.”

Isaac Karabtchevsky, regente titular e diretor da Orquestra Sinfônica Heliópolis e da Orquestra Petrobras Sinfônica