Sem BNDES, concurso de piano busca novas parcerias

por Redação CONCERTO 03/12/2018

Um dos mais importantes concursos de música clássica do Brasil, o Concurso BNDES de Piano, cancelou a edição 2018 por falta de recursos. Segundo Lilian Barretto, presidente do instituto Arte Plena, que coordena o concurso, “infelizmente o concurso não ficou imune à séria crise política e econômica que atravessamos”. Com a retirada do apoio do BNDES, novas parcerias estão sendo cogitadas.

“Alguns exemplos de concursos que existem há mais de 50 anos nos apontam algumas direções: o Concurso de Genebra existe há mais de 50 anos e tem desde sempre um patrocinador exclusivo, a Rolex. Já o Concurso Chopin, um dos mais famosos do mundo, existe desde 1927 e é patrocinado pelo Governo Polonês e pela Universidade Chopin de Varsóvia. O Concurso de Leeds, no Reino Unido, um dos mais célebres do mundo, também existe há mais de 40 anos e é patrocinado pela Universidade de Leeds”, comenta Lilian.

No momento, o organização do Concurso está em negociação com a Universidade de São Paulo, por meio do diretor da Escola de Comunicação e Artes, o pianista Eduardo Monteiro, para uma possível parceria que possa garantir a continuidade das atividades.

Nas cinco edições que realizou, o Concurso BNDES de Piano revelou talentos como Fabio Martino, Leonardo Hilsdorf e Lucas Thomazinho, dentre outros, que tiveram as carreiras impulsionadas nacional e internacionalmente pelas premiações oferecidas. 

Segundo matéria do jornal O Globo, entre 2012 e 2016 o concurso ofereceu 13 bolsas de estudos para pianistas brasileiros em escolas e festivais renomados no exterior. Em 2016, o patrocínio do BNDES foi de R$ 2.793.089,92, em uma edição com 150 candidatos de 37 países, com R$ 280 mil em prêmios.

Candidatos da edição 2016 do Concurso BNDES de Piano [Divulgação]
Candidatos da edição 2016 do Concurso BNDES de Piano [Divulgação]