Banner 468x60
Banner 180x60
Boa tarde.
Segunda-Feira, 22 de Maio de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes


 
 
 
Bela safra (22/12/2015)
Por Jorge Coli

Que beleza, o concerto com o qual o Theatro São Pedro encerrou sua temporada de 2015! Foi um presente de festas que aqueceu o coração nestes tempos de perspectivas futuras não muito calorosas.

Eram os formandos da Academia de Ópera, cantores, maestros, mostrando o resultado de um trabalho sério: artistas de nível muito alto, alguns excepcionais. Exceto o maestro André dos Santos que regeu a maior parte das obras (Luiz Fernando Malheiro, anunciado para o dia 20, preferiu ceder a batuta àquele que é o coordenador da academia), e a cantora convidada Marly Montoni, todos os outros eram alunos.

Havia dois maestros na turma dos novos acadêmicos – Pedro Messias, Flávio Lago – e os seguintes cantores: André Rabello, Camila Titinger, Caroline Jadach, Daniel Umbelino, Dayvison Duque, Debora Dibi, Eduardo Fujita, Gustavo França, Johnny França, Jorge Trabanco, Mar Oliveira, Maria Sole Gallevi, Meghan Dawson, Rachel Alonso e Roseane Soares.


Turma de 2015 da Academia de Ópera do Theatro São Pedro de São Paulo [foto: divulgação]

Eles encarregaram-se de um programa substancial, em solos, duetos, conjuntos e peças orquestrais, 16 ao todo, de diversos compositores. Demonstraram que há ali uma safra de belos artistas, alguns já maduros para lançarem-se em carreiras profissionais, outros revelando qualidades cheias de promessas. Assinalo a qualidade excepcional de um tenor como Mar Oliveira (a ária de Lenski, do Eugene Oneguin, de Tchaikovsky, por ele interpretada, demonstrou musicalidade, beleza de timbre, domínio de todas as dificuldades; seu duque de Mântua foi ainda melhor). Lembro Camila Tittinger, cuja voz desabrocha nos médios e nos agudos; a presença cênica, o domínio vocal do sempre excelente Johnny França; a sutileza atenta dos jovens maestros Flávio Lago e Pedro Messias, que regeram admiravelmente páginas de Carlos Gomes e de Leoncavallo.

No entanto, é melhor guardar na memória todos os nomes que listei acima. Eles, mais Marly Montoni, voz calorosa, cheia, que nos ofereceu uma impressionante Ária do compositor, na Ariadne em Naxos, de Richard Strauss, e uma poderosa Chimène, no Le Cid, de Massenet, anunciam uma grande e bela história musical por vir. Aos bravos da plateia entusiasmada ajunto aqui, mais uma vez, os meus.

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.





Jorge Coli - é professor de História da Arte e da Cultura na Unicamp e colunista da Revista CONCERTO.

Mais Textos

Noites memoráveis com Isabelle Faust e Alexander Melnikov Por Camila Frésca (18/5/2017)
Com Faust e Volmer, a Osesp chega à excelência Por Irineu Franco Perpetuo (16/5/2017)
Foi um esplendor, mas... Por Jorge Coli (16/5/2017)
Perdas e danos (Santa Marcelina incorpora Theatro São Pedro) Por Nelson Rubens Kunze (9/5/2017)
Pesquisa do Projeto Guri mostra resultados importantes Por Camila Frésca (3/5/2017)
Diana Damrau, uma artista de mais de 50 tons Por Irineu Franco Perpetuo (2/5/2017)
E Cristian Budu, finalmente, tocou com a Osesp! Por Irineu Franco Perpetuo (21/4/2017)
Olivier Toni Por João Marcos Coelho (20/4/2017)
“Uirapuru”, de Villa-Lobos: algumas considerações no centenário da obra Por Camila Frésca (12/4/2017)
Nasce uma estrela Por Jorge Coli (11/4/2017)
Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta “Jenufa”, de Janácek Por Nelson Rubens Kunze (4/4/2017)
A festa do Concurso Maria Callas: competência e amor à música Por Jorge Coli (4/4/2017)
“Risco” é vibrante imagem artística da cidade de São Paulo Por Jorge Coli (29/3/2017)
Quanto custa uma orquestra sinfônica? Por Nelson Rubens Kunze (28/3/2017)
De palmeiras e pinheirinhos nórdicos Por João Marcos Coelho (24/3/2017)
Opes abre temporada clássica no Theatro Municipal do Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (23/3/2017)
Sombra de sombra – a estreia da ópera “O espelho” Por João Luiz Sampaio (22/3/2017)
Helder Parente, talento infinito Por Rosana Lanzelotte (21/3/2017)
Trio Villani-Côrtes faz uma ótima estreia com “Três tons brasileiros” Por Camila Frésca (14/3/2017)
O valor da música (e a responsabilidade do Estado) Por Nelson Rubens Kunze (5/3/2017)
Um Brasil diferente ainda é possível Por João Marcos Coelho (22/2/2017)
Em clima de festa, Theatro Municipal de São Paulo abre ano com bom concerto Por Nelson Rubens Kunze (22/2/2017)
Sígrido Levental e o Conservatório do Brooklin (lembranças pessoais) Por Nelson Rubens Kunze (3/2/2017)
Sarau e livro recuperam a obra do violinista catarinense Adolpho Mello Por Camila Frésca (23/1/2017)
Nação civilizada (ou seria incivilizada?) Por Nelson Rubens Kunze (18/1/2017)
Diário de viagem Por Jorge Coli (16/1/2017)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Maio 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3
 

 
São Paulo:

26/5/2017 - Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

Rio de Janeiro:
28/5/2017 - XII RioHarpFestival

Outras Cidades:
25/5/2017 - Belo Horizonte, MG - Orquestra Filarmônica de Minas Gerais
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046