Banner 468x60
Banner 180x60
Boa tarde.
Sexta-Feira, 25 de Maio de 2018.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 

 
 
 
10 anos de Filarmônica de Minas Gerais: muito a comemorar (26/2/2018)
Por Nelson Rubens Kunze

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais está comemorando 10 anos de existência. Não é pouco em nosso país, em que projetos de excelência são raríssimos e, quando iniciados, acabam por ter vida efêmera. A orquestra nasceu da intenção do governo mineiro de fundar uma orquestra moderna e de qualidade. Criou-se uma nova estrutura – uma associação sem fins lucrativos hoje denominada Instituto Cultural Filarmônica –, estabeleceu-se um termo de parceria público privada e a partir daí desenvolveu-se um projeto sinfônico que hoje está entre os melhores do país.

Há 10 anos, em fevereiro de 2008, viajei a Belo Horizonte para assistir à estreia desta nova orquestra brasileira. Eu estava empolgado! Pois, além de terem escolhido um ótimo maestro brasileiro para a direção artística e regência titular, Fabio Mechetti, o projeto se baseava em um modelo de gestão – o de um contrato com uma organização da sociedade civil – que já tinha gerado em São Paulo o milagre da Osesp e da Sala São Paulo.


Concerto comemorativo de 10 anos da Filarmônica de Minas Gerais [Divulgação / Rafael Motta]

Dez anos depois, os frutos daquela ideia excedem em muito às mais otimistas previsões que fazíamos em 2008. A Filarmônica rivaliza para ser a melhor do país, possui uma espetacular sede, a Sala Minas Gerais, e transformou-se em um potente polo irradiador de cultura clássica: em centenas de concertos, inclusive no interior do estado de Minas e em capitais do Brasil e do exterior, a orquestra foi vista e ouvida por mais de 1 milhão de pessoas. E não são quaisquer concertos: desde sua fundação, a orquestra organiza séries de assinaturas com destacados artistas nacionais e internacionais, em um compromisso de seriedade e profissionalismo raro em equipamentos públicos. Além dos concertos, a Filarmônica mantém projetos educacionais, de formação de plateias, o Festival Tinta Fresca de incentivo à composição e o Laboratório de Regência. À exceção da Osesp, que outra orquestra sinfônica brasileira ostenta um histórico dessa envergadura? Mantida pelo estado de Minas Gerais, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais é mais um exemplo de como as parcerias com organizações da sociedade civil geram os melhores resultados da equação custo versus benefícios para os investimentos públicos na área da cultura.

Voltei a Belo Horizonte no dia 17 de fevereiro passado para assistir à comemoração de aniversário da Filarmônica de Minas Gerais. A excelência artística mais uma vez deu o tom do espetáculo, que teve a Nona sinfonia de Beethoven – com os equilibrados solistas Gabriella Pace, Denise de Freitas, Matheus Pompeu e Licio Bruno e participação do Concentus Musicum de BH e do Coro da Osesp –, ao lado da Suíte Vila Rica de Camargo Guarnieri, sob regência precisa do maestro Fabio Mechetti. Foi muito especial a interpretação da obra de Guarnieri, por seu ineditismo e pelo belo virtuosismo das madeiras da orquestra. E todos nós gostamos da Nona, dessa sinfonia monumental, com sua mensagem de paz e fraternidade (é verdade que ao meu lado, uma senhora, emocionada, acompanhava cantarolando Freude, schöner Götterfunken, Tochter aus Elysium atrapalhando “um pouco” a minha audição...).


Fabio Mechetti com a Filarmônica de Minas Gerais [Divulgação / Rafael Motta]

Significativo também foi ver o governador do estado de Minas Gerais, Fernando Pimentel, na plateia da Sala Minas Gerais. Quanto a isso vale observar: a Filarmônica de Minas Gerais é possivelmente a primeira orquestra brasileira desde Pedro Álvares Cabral que não trocou de maestro nem de diretores quando a oposição venceu o governo, como aconteceu nas últimas eleições. Mais uma grande virtude do modelo de Organizações Sociais, que, preservando a missão das instituições, consegue proteger orquestras sinfônicas, museus, teatros e demais órgãos culturais públicos dos interesses político-partidários mais imediatos.

Parabéns ao estado e ao governo de Minas Gerais, que há dez anos investem em um equipamento cultural público, aberto e democrático, que já é um paradigma em nosso país. Parabéns aos ótimos músicos, ao maestro Fabio Mechetti e ao Instituto Cultural Filarmônica. Vida longa à Orquestra Filarmônica de Minas Gerais!





Nelson Rubens Kunze - é diretor-editor da Revista CONCERTO

Mais Textos

Uma grande surpresa e um grande concerto para piano Por João Marcos Coelho (25/5/2018)
Suisse Romande: Master class na Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (15/5/2018)
Um matrimônio espirituoso, vivo e musical Por Jorge Coli (8/5/2018)
“Fausto” é novo marco artístico do Festival Amazonas de Ópera Por Nelson Rubens Kunze (7/5/2018)
Clássico em terreno popular: o encantador recital de Cristian Budu na série “Tupinambach” Por Camila Frésca (3/5/2018)
Um "Faust" digno dos grandes teatros internacionais Por Jorge Coli (2/5/2018)
Verdi futurista aterrissa no Theatro Municipal do Rio Por Nelson Rubens Kunze (30/4/2018)
Cristian, Jamil e OER empolgam o Municipal lotado Por Irineu Franco Perpetuo (30/4/2018)
Ótima "Traviata" estreia em Belo Horizonte Por Nelson Rubens Kunze (27/4/2018)
A Camerata Romeu e a reinvenção da música Por João Marcos Coelho (26/4/2018)
Primeira escuta: Ronaldo Miranda estreia obra com a Osesp Por Nelson Rubens Kunze (25/4/2018)
Oito olhos azuis e muita música Por Jorge Coli (19/4/2018)
‘Missa’ de Bernstein é destaque no Theatro Municipal de São Paulo Por Nelson Rubens Kunze (10/4/2018)
“O Corego” e os primórdios da representação operística Por Camila Frésca (6/4/2018)
Natalie Dessay: uma expressão que transcende as palavras Por Irineu Franco Perpetuo (5/4/2018)
Os Músicos de Capella fazem primorosa ‘Paixão’ de Bach Por Nelson Rubens Kunze (29/3/2018)
A música não mente Por João Marcos Coelho (27/3/2018)
Enfim, uma sede para a Ospa! Por Nelson Rubens Kunze (26/3/2018)
A Osesp, Villa-Lobos e o “voo de galinha” Por João Marcos Coelho (23/3/2018)
Jan Lisiecki: para uma temporada de austeridade, um pianista nada austero Por Irineu Franco Perpetuo (14/3/2018)
“Lo Schiavo” em Campinas: encantamento e melancolia Por Jorge Coli (12/3/2018)
Villa-Lobos, a Semana de Arte Moderna e o Brasil Por Camila Frésca (8/3/2018)
“Sexta” de Mahler coroa trabalho artístico do Instituto Baccarelli Por Nelson Rubens Kunze (5/3/2018)
Hvorostovsky e um “Rigoletto” excepcional Por Jorge Coli (26/2/2018)
Ópera de Dubai e Louvre Abu Dhabi: arquitetura e conceito – parte 2 Por Camila Frésca (22/1/2018)
Ópera de Dubai e Louvre Abu Dhabi: arquitetura e conceito – parte 1 Por Camila Frésca (22/1/2018)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Maio 2018 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31 1 2
 

 
São Paulo:

26/5/2018 - Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (CANCELADO)

Rio de Janeiro:
30/5/2018 - XIII RioHarpFestival

Outras Cidades:
30/5/2018 - Natal, RN - Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2018 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046