Museu virtual reúne milhares de instrumentos de coleções britânicas

por Camila Frésca 04/12/2017

Uma importante ferramenta de pesquisa – ou mesmo uma deliciosa curiosidade para melômanos – foi lançada no último dia 30 de outubro: o site Minin-UK  (Musical Instruments Interface for Museums and Collections), um museu virtual de instrumentos musicais que reúne milhares de informações, fotos e arquivos de áudio de 200 coleções de instrumentos históricos do Reino Unido. No total, são cerca de 20 mil itens que abrangem 5 mil anos. O Minin-UK é o resultado de um projeto liderado pelo Royal College of Music em parceria com o Museu Horniman, a Royal Academy of Music, a Universidade de Edimburgo e o Google Arts and Culture, com financiamento do Higher Education Funding Council for England [Conselho de Financiamento da Educação Superior para a Inglaterra].

Em tempos em que, no Brasil, lutamos por verbas para que nossas instituições culturais tenham o mínimo para subsistir, navegar pelo site é entrar em outro mundo. São 332 violinos, 76 violas, 73 violoncelos e 19 contrabaixos disponíveis para exibição, juntamente com centenas de outros instrumentos de cordas de todo o mundo, e milhares de exemplos de sopros, teclado, percussão e instrumentos eletrônicos. Além de conectar coleções que já existiam on-line, o projeto também digitalizou muitas outras: “nossa equipe viajou mais de 10 mil milhas por 200 dias reunindo fotografias, gravações de áudio e vídeo e histórias das Terras Altas da Escócia até costa sul”, afirmam os organizadores.

O lindo cravo construído por Alessandro Trasuntino em Veneza, em 1531, é um desses milhares de instrumentos. É possível fazer pesquisa a partir de determinada coleção, de uma família de instrumentos ou procurar um instrumento específico. Uma vez feita a busca e selecionado o instrumento, uma página exibe fotos, uma descrição geral, o nome do fabricante ou luthier, data, coleção em que se encontra e número de inventário do instrumento. Em alguns deles, ainda é possível ouvir uma gravação em áudio e/ou vídeo. Ou ainda, indo diretamente à seção “watch and listen”, é possível ver a lista com foto dos instrumentos para os quais existe a opção multimídia. Ali pude ouvir, por exemplo, o som do violino “Habeneck” construído por Antonio Stradivari em 1734. Ou ainda, descobri o curioso “flexatone”, cuja descrição técnica se inicia explicando que se trata de uma “lâmina de aço flexível em armação de metal que soa ao ser chacoalhada, de modo que bolas de madeira golpeiem a lâmina; a altura da nota é controlada flexionando-se a lâmina” (felizmente, é possível ver um vídeo do instrumento em ação e compreender o procedimento).

 

Artigos que tratam da história musical do Reino Unido a partir dos instrumentos musicais presentes nas coleções completam a base de informações que se pode encontrar no Minin-UK. A oferta parece muitas vezes ser infinita – assim como as descobertas.