Cursos Clássicos

Revista CONCERTO apresenta Cursos CLÁSSICOS na Loja CLÁSSICOS Sala São Paulo.
Uma introdução à música do século XIX, período fundamental para a história da música e da arte, por meio do contato com a vida e a obra de Schubert, Schumann, Brahms, Berlioz, Liszt, Wagner, Chopin, Verdi e Tchaikovsky. Aula 1
Por: Irineu Franco Perpetuo, jornalista, crítico musical e tradutor
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 9, 16 e 23 de março
Horário: das 15h às 18h
Como preparação para a Páscoa e para os concertos dos dias 11, 12 e 13 de abril, que será apresentada pela Osesp, sob regência de Nathalie Stutzmann, este curso pretende sensibilizar – espiritual e esteticamente – os ouvintes por meio
Por: Yara Caznok, professora da Unesp e autora de Música: entre o audível e o visível, entre outros livros
Duração: 2 aulas de 3 horas
Data: Sábados, dias 30 de março e 6 de abril
Horário: das 15h às 18h
A interpretação pode ser também uma das formas da crítica musical: de fato, o diálogo entre compositores e obras não precisa necessariamente se expressar em palavras, mas pode também ser exclusivamente sonoro, com ideias manifestas no modo como as obras
Por: Sidney Molina, professor, violonista, integrante do Quaternaglia Guitar Quartet e crítico musical do jornal Folha de S. Paulo
Duração: 2 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 6 e 13 de abril
Horário: das 10h às 13h
O fascinante diálogo entre cinema e música, a partir de três enfoques: trilhas originais; o uso de peças de concerto em grandes filmes; e os documentários sobre música. Aula 1 : Trilhas escritas originalmente para filmes Aula 2 : O
Por: Sergio Basbaum, multiartista e pesquisador, coordenador da pós-graduação em Música e Imagem da Faculdade Santa Marcelina.
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 13 e 27 de abril e 4 de maio
Horário: das 15h às 18h
A ópera é frequentemente considerada parte da alta cultura. Exige sofisticação musical e teatral. Como uma obra de arte completa, a ópera examina e provoca afetos. Grandes emoções são a meta através do enredo, mas especialmente pelo cantar. A loucura
Por: Andres Santos Jr., psiquiatra, psicanalista, professor e pesquisador em Neuroestética; e José Paulo Fiks, psiquiatra, professor e pesquisador em Neuroestética
Duração: 2 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 27 de abril e 4 de maio
Horário: das 10h às 13h
O furacão Napoleão Bonaparte (1769-1821) varreu a Europa e foi determinante nos primeiros quinze anos do século XIX. Tudo girou em torno dele. Das batalhas à política, da censura à imprensa e ao domínio autocrático, ele foi o divisor de
Por: João Marcos Coelho, jornalista e crítico musical do jornal O Estado de S. Paulo
Duração: 4 encontros de 2 horas
Data: Quintas-feiras, dias 2, 9, 16 e 23 de maio
Horário: das 18h às 20h
Apresentação dos principais momentos e movimentos estéticos da história da música, com a exibição de obras marcantes e representativas de cada período.
Por: Leonardo Martinelli, professor e compositor
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 11, 18 e 25 de maio
Horário: 10h às 13h
Passeio musical pelos vários períodos da história da ópera, da criação do gênero no século XVI até o século XX; após essa introdução, o professor realiza novo curso em junho, no qual vai analisar três grandes óperas: La traviata, Carmen
Por: Sergio Casoy, professor e pesquisador, autor de “A Invenção da Ópera”
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 11, 18 e 25 de maio
Horário: das 15h às 18h
No imaginário do amante de ópera, Richard Wagner e Giuseppe Verdi simbolizam posições rivais. Como personalidades, não poderiam mesmo ser mais diferentes. Ainda assim, suas obras buscam um mesmo objetivo: a reinvenção da ópera.
Por: João Luiz Sampaio, jornalista, editor-executivo da Revista CONCERTO e crítico de ópera do jornal O Estado de S. Paulo
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 1º, 8 e 15 de junho
Horário: das 10h às 13h
A história do piano, seu repertório, o modo como refletiu transformações sociais, os grandes virtuoses do romantismo e os intérpretes da atualidade.
Por: Helen Gallo, pianista, doutora em música
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 1º, 8 e 15 de junho
Horário: das 15h às 18h
A relação entre música e literatura, composição, ficção e poesia vem de longe: coincide com a própria história da música. Está presente nas óperas baseadas em mitos e romances, em cantatas com textos sacros ou profanos, em lieder ou canções,
Por: Manuel da Costa Pinto, jornalista, colunista do jornal Folha de S. Paulo e mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Quintas-feiras, dias 6, 13 e 27 de junho e 4 de julho
Horário: das 18h às 20h
Uma investigação sobre as origens, a composição, o desenvolvimento e o funcionamento de uma orquestra sinfônica, do período barroco aos dias de hoje.
Por: Cinthia Alireti, regente titular e codiretora artística da Sinfônica da Unicamp
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 22 e 29 de junho e 6 de julho
Horário: das 10h às 13h
Nestes encontros, o professor destaca fatos de crônica e curiosidades acerca das óperas escolhidas e seus compositores, e, na sequência, exibe e comenta os trechos mais significativos da obra em pauta. Aula 1 : La Traviata, de Giuseppe Verdi Aula
Por: Sergio Casoy, professor e pesquisador, autor de “A Invenção da Ópera”
Duração: 3 encontros de 3 horas
Data: Sábados, dias 22 e 29 de junho e 6 de julho
Horário: das 15h às 18h