Notícias do mundo musical

por Redação CONCERTO 01/09/2018

Quarta edição da Ciclovia Musical ocorre em Itaquera

O projeto Ciclovia Musical, idealizado pela produtora cultural Giane Martins, realiza uma nova edição em setembro, no sábado, dia 22, das 9h às 13h, no bairro de Itaquera, em São Paulo. A iniciativa propõe um passeio de bicicleta pelo bairro, com paradas estratégicas para que os ciclistas possam assistir a apresentações musicais.

“O nosso objetivo é incentivar um sentido de cidadania e promover a educação e o melhor convívio entre ciclistas e motoristas, além de democratizar o acesso à música para um público que encontra dificuldade na hora de estacionar as bicicletas ou não se sente à vontade para entrar em salas tradicionais de concertos com roupas esportivas”, explica Giane.

Os ciclistas poderão escolher entre diferentes roteiros, que vão passar por nove palcos, nos quais vão se apresentar onze grupos musicais, em uma busca por divulgar e ocupar os diferentes espaços no bairro de Itaquera, difundindo música com padrão de excelência. Os roteiros têm distâncias variadas (13 km, 7,5 km e 5 km); sucesso de edições anteriores, o Roteiro CicloKids Musical, com cerca de 1 km, fica dentro dos limites do Parque do Carmo e conta com quatro paradas para apresentações musicais.

Os interessados em participar devem acessar o site e escolher o roteiro e realizar a inscrição.

[Divulgação / Leandro Godoi]
[Divulgação / Leandro Godoi]

Vânia Dantas Leite morre aos 72 anos

Morreu no dia 11 de agosto, no Rio de Janeiro, a compositora, professora, pianista e regente Vânia Dantas Leite, referência na música eletrônica no Brasil, aos 72 anos. Ela estudou composição na UFRJ e se especializou no Electronic Music Studio, em Londres, posteriormente montando seu laboratório de música eletrônica no Rio de Janeiro. Fundou o Estúdio de Música Eletroacústica do Instituto Villa-Lobos, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, e recebeu inúmeros prêmios de composição, como o 1º lugar no Concurso Nacional de Composição em 1972, o Prêmio Programa de Bolsas RioArte em 1996, Prêmio da Rockefeller Foundation em 2003 e o Prêmio Funarte de Composição Musical em 2012.

“Seguimos juntas por muitas jornadas, muitas alegrias e conquistas no universo da criação musical tão difícil para a mulher compositora!”, escreveu sobre ela a compositora Jocy de Oliveira. “Ela escolheu o silêncio – parâmetro cada dia mais raro nesta terra sofrida que não mais ouve. Ela parte em silêncio com sua beleza e talento que generosamente passou a tantos e tantos discípulos! Uma mulher compositora que nos deixa e me faz sentir mais só. Foram tantas nossas descobertas juntas, ela era uma inspiração. Adeus minha amiga, sua música nos acompanhará sempre.”

Entre suas obras mais recentes, estavam Retratos sonoros do Jongo da Serrinha, apresentada na Série Unirio Musical, e Memórias abstratas e abstraídas, estreada na Bienal de Música Brasileira Contemporânea da Funarte em 2015.

Vânia Dantas Leite [Divulgação]
Vânia Dantas Leite [Divulgação]

Lucas Thomazinho vence Prêmio de Finalista do Concurso Santander

O jovem pianista brasileiro Lucas Thomazinho ficou entre os seis melhores pianistas e recebeu o Prêmio de Finalista no 19º Paloma O’Shea Santander International Piano Competition, que aconteceu na cidade espanhola de Santander e é considerado um dos mais importantes concursos de piano do mundo. Na prova final, Thomazinho se apresentou no Pereda Hall, do Palacio de Festivales.

O vencedor foi o ucraniano Dmytro Choni, que recebeu o Primeiro Prêmio e a Medalha de Ouro do festival. O chinês Yutong Sun ficou com o Segundo Prêmio e o russo Aleksandr Kliuchko com o Terceiro. O júri do concurso foi presidido por Joaquín Achúcarro e composto por Samuel Holland, Jian Li, Dimitri Alexeev, Akiko Ebi, Márta Gulyás, Claudio Martínez-Mehner, Arie Vardi, Ian Yungwook Yoo e Marco Zuccarini.

Lucas Thomazinho [Divulgação]
Lucas Thomazinho [Divulgação]

Daniele Gatti é demitido da Orquestra do Concertgebouw

O maestro italiano Daniele Gatti foi demitido no início de agosto do posto de regente titular da Orquestra Real do Concertgebouw de Amsterdã. A decisão do grupo, um dos principais do mundo, foi motivada por denúncias de assédio sexual reveladas em uma reportagem do dia 26 de julho do jornal norte- -americano The Washington Post.

Segundo comunicado oficial distribuído pela orquestra, “essas acusações e a reação de Gatti causaram comoção entre músicos e equipe, assim como entre acionistas, tanto em casa como no exterior”. “Além disso, desde a publicação da reportagem, diversas colegas da orquestra reportaram experiências com Gatti consideradas inapropriadas para um regente titular. Isso prejudicou de forma irreparável a relação de confiança entre orquestra e maestro”, afirmava o texto distribuído à imprensa.

Segundo o Washington Post, duas mulheres acusaram o maestro de comportamento inadequado em seu camarim em 1996 e 2000. Ao jornal, o maestro afirmou estar “extremamente surpreso” e negou as alegações. Em nota, disse ainda ter orientado seus advogados “a proteger sua reputação e tomar medidas legais se essa campanha difamatória continuar”.


Osesp e Masp propõem diálogo

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e o Museu de Arte de São Paulo (Masp) realizam ao longo do segundo semestre a quarta edição do projeto Osesp Masp, que tem como objetivo estabelecer diálogos entre a música e as artes plásticas, relacionando similaridades estéticas e históricas de ambas. Cada apresentação é comentada por um especialista convidado, que faz a conexão entre as obras de arte da coleção do Masp e as composições musicais.

Em setembro, no dia 17, Leonardo Martinelli vai comentar uma apresentação do Coro Acadêmico da Osesp em diálogo com a obra Composição, de Rubem Valentim. Nos encontros seguintes, o palestrante será o professor Sergio Molina, com um repertório que inclui peças de Ravel, Ligeti e uma seleção de peças de câmara de autores americanos, entre outros, em conversa com criações de Monet, Lina Bo Bardi e Pedro Figari.


Recife apresenta compositores

Com um concerto especial, no dia 20, no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura em Recife, será lançado o projeto Mucambo: música contemporânea para quarteto de cordas. Idealizado por Victor Luiz e Manassés Bispo, o projeto apresenta a nova geração de compositores pernambucanos.

No concerto, serão apresentadas obras de Ivanubis, Paulo Lima, Syrlane Albuquerque, Mateus Alves, Paulo Arruda, Nelson Almeida, Victor Luiz, Mauro Maibrada, Ricardo Brafman e Nilson Lopes. [O CD Mucambo: música contemporânea para quarteto de cordas estará disponível para download no site oficial do projeto.]


Pianista Simone Leitão inicia nova turnê internacional

A pianista Simone Leitão lança no dia 11, com um recital no Masp, sua nova turnê internacional, que vai passar por cinco países e dez cidades, culminando com um concerto no dia 16 de janeiro no Carnegie Hall, em Nova York. O programa da apresentação é composto por peças como a Chaconne em ré menor de Bach, a Sonata nº 2 de Rachmaninov e o Ciclo brasileiro de Villa-Lobos.

Leitão, que acaba de lançar CD dedicado a Bach, vai se apresentar no Equador, em Curação, nos EUA (Miami, Fort Lauderdale, Los Angeles, São Francisco, Nova York) e na Costa Rica, antes de retornar ao Brasil para compromissos em Salvador.

A pianista também realiza, entre os dias 19 e 21 de setembro, a nova edição da Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro, da qual é diretora artística (leia mais no Roteiro Musical, na página 47).

Simone Leitão [Divulgação]
Simone Leitão [Divulgação]

Luiz Fernando Carvalho vai dirigir Ópera dos três vinténs no Theatro Municipal de São Paulo

O diretor Luiz Fernando Carvalho, responsável por trabalhos como a minissérie Capitu e o filme Lavoura arcaica, vai assinar uma nova produção de A ópera dos três vinténs, de Kurt Weill e Bertolt Brecht, na temporada 2019 do Teatro Municipal de São Paulo. A montagem terá 30 récitas a partir de maio e será fruto de um trabalho de pesquisa que vai unir alunos das escolas ligadas ao teatro, assim como artistas que já trabalharam com Carvalho em outras produções. A informação foi divulgada na primeira semana de agosto em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo o texto, Carvalho vai trabalhar no projeto com o dramaturgo Luis Alberto de Abreu e com o maestro e compositor Tim Rescala. A Secretaria Municipal de Cultura ainda não informou o valor do orçamento da produção. “É um texto com a força da atualidade. Será fácil identificar quem representa o poder, quem representa o corrupto, o empregado, o empregador. O painel da desigualdade que os autores pintam é facilmente reconhecível para a sociedade de hoje”, afirmou o diretor. “Minha conversa com o Luis Alberto de Abreu foi no sentido de aproximar a narrativa do público de hoje, jovem, paulistano, mexendo na tradução, dando maior coloquialidade e atualizando termos. O objetivo é aliar estética e ética para produzir consciência, refletir sobre que país é esse em que vivemos.” Ainda segundo Carvalho, Tim Rescala vai reimaginar elementos da música de Kurt Weill, trabalhando com texturas e com novos instrumentos. “São Paulo tem uma orquestra de refugiados que carrega uma sonoridade específica, por exemplo, uma sonoridade que com certeza interessaria hoje a Weill.”


Atalla Ayan recebe prêmio da Ópera de São Francisco

O tenor brasileiro Atalla Ayan foi eleito “Estrela Emergente do Ano de 2018” pela “Jan Shrem and Maria Manetti Shrem Emerging Stars Competition”, da San Francisco Opera. Ayan, que intrepretou Alfredo na montagem de La traviata na última temporada da importante casa de ópera norte-americana, foi escolhido pelo voto popular e receberá U$ 10 mil de prêmio.

Nascido em Belém, no Pará, Atalla Ayan estudou no Lindemann Young Artist Development Program do Metropolitan Opera de Nova York, e no Teatro Comunale de Bolonha. Estreou na ópera Gianni Schicchi, de Puccini, em Belém, e fez sua estreia internacional em Atenas, como Rodolfo, em La bohème, papel que o levou a outros palcos como o Metropolitan Opera e a Ópera de Paris, além da Royal Opera House Covent Garden, de Londres. Em 2012 tornou-se membro da Ópera de Stuttgart, na Alemanha.

Atalla Ayan [Divulgação]
Atalla Ayan [Divulgação]

Osesp ganha Prêmio da Música Brasileira com gravação de Villa

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo venceu, com o disco com as Sinfonias nº 8, 9 e 11 de Heitor Villa-Lobos, a categoria de Melhor Álbum Erudito do 29º Prêmio da Música Brasileira. É o quarto prêmio recebido pelo projeto de gravação das sinfonias do compositor, com regência de Isaac Karabtchevsky.

“Muito orgulho de receber o troféu em nome de todos os músicos da orquestra, todos os cantores do coro, toda a equipe do Centro de Documentação Musical (dirigido por Antonio Carlos Neves Pinto) e do maestro Isaac Karabtchevsky. A gravação e as partituras restauradas das 11 Sinfonias são um verdadeiro legado desta nossa geração. Viva Villa! E viva a Osesp!”, comemorou o diretor artístico da Osesp, Arthur Nestrovski.

O álbum, lançado em 2017, faz parte do projeto de revisão musicológica e gravação das 11 sinfonias de Villa-Lobos, realizado a partir de 2011 pela Osesp por meio de sua editora Criadores do Brasil.

O CD com as sinfonias nºs 8, 9 e 11 pode ser adquirido na Loja CLÁSSICOS, on line ou na Sala São Paulo, nas lojas especializadas nacionais e internacionais e também está disponível nas plataformas digitais. O CD está incluído também no box com a integral das sinfonias, que tem edição limitada.


Juvenil da Bahia realiza turnê europeia
Orquestra do Neojiba faz sua sétima turnê internacional; entidade terá nova sede em Salvador

A Orquestra Juvenil da Bahia realiza em setembro sua sétima turnê internacional. O grupo, ligado ao Neojiba (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) vai se apresentar na Suíça, na Itália e na França entre os dias 5 e 17, sob o comando do maestro e pianista Ricardo Castro e com a participação da pianista argentina Martha Argerich como solista.

A turnê começa pela Itália, com concertos no Teatro Regio de Torino, e na Sala Verdi, em Milão. Em seguida, duas apresentações na Suíça (que contarão com a participação especial do pianista Ronaldo Rolim e do maestro Eduardo Salazar), no Auditório Stravinsky em Montreux e no Victoria Hall de Genebra. De volta a terras italianas, o grupo toca em Bolonha (Auditório Manzoni), Verona (Teatro Filarmônico) e Merano (Kursaal). O encerramento será na França, com um concerto especial na Philharmonie de Paris.

Nas apresentações, os músicos vão interpretar obras de Dvorák, Schumann, Liszt, Camargo Guarnieri, Wellington Gomes e arranjos sinfônicos para clássicos da música popular brasileira com Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, e Tico-tico no fubá, de Zequinha de Abreu.

O Neojiba também trabalha na construção de sua sede própria, no complexo de casarões do Parque do Queimadinho, em Salvador. O espaço está recebendo tratamento acústico assinado pelo escritório japonês Nagata Acoustics, empresa responsável por algumas das melhores salas de concerto do mundo como a nova Elbphilharmonie, em Hamburgo. A previsão é que até o final do ano a primeira fase do projeto seja concluída, com a inauguração de uma sala de câmara e cinco salas de ensaio.

Criado em 2007 por Ricardo Castro, o Neojiba trabalha com jovens de todo o estado da Bahia, oferecendo diálogo entre formação musical e inclusão social. “Consideramos que o impacto social só acontece verdadeiramente quando se busca a excelência, sendo que essa busca só se justifica no Brasil de hoje se acontecer num contexto socioeducacional. Acreditamos que a vivência do nosso lema ‘aprende quem ensina’ promove o surgimento de uma nova geração de músicos que primam pela excelência, mas que são igualmente comprometidos com o social”, diz Castro (leia artigo do maestro e pianista sobre os propósitos do projeto na página 23).

Obras da nova sede do Neojiba, em Salvador [Divulgação / Leonon Reis]
Obras da nova sede do Neojiba, em Salvador [Divulgação / Leonon Reis]

Manuela Freua e Baldini lançam CD nos Encontros CLÁSSICOS

A série Encontros Clássicos da Loja CLÁSSICOS promove, no dia 15 de setembro, a partir das 11 horas, na Sala São Paulo, o lançamento do CD A canção e o violino, da soprano Manuela Freua e do violinista Emmanuele Baldini. No disco, os artistas interpretam uma seleção de canções de Villa-Lobos, Rebecca Clarke, Vaughan Williams e Gustav Holst escritas para esta formação, além de fazer a primeira gravação de uma peça encomendada especialmente para o projeto: Roteiro do silêncio, de Leonardo Martinelli, escrita a partir de poemas de Hilda Hilst. O lançamento será antecedido por uma breve apresentação do duo e por uma conversa de Martinelli com o público, na qual ele vai falar sobre o processo de criação de sua composição. Leia mais sobre A canção e o violino na seção Lançamentos de CDs, na página 60.


Maria Callas “holográfica” faz concertos no Brasil

A soprano Maria Callas vai se apresentar em palcos brasileiros em outubro – em versão holográfica, naturalmente. O projeto Callas in Concert – The Hologram Tour ocorrerá no dia 16, no Teatro Bradesco de São Paulo, e, no dia 18, no Teatro Araújo Vianna, em Porto Alegre. Nele, a imagem de Callas foi transformada em um holograma tridimensional, que apresenta algumas das principais árias do repertório do artista, retiradas de seu catálogo discográfico da Warner Classics. O projeto estreou no ano passado em Nova York, idealizado e dirigido por Stephen Wadsworth.

“O show vai agradar gerações de plateias que nunca viram Callas ao vivo e que podem saber pouco sobre ela além de sua reputação, bem como aos amantes de ópera que estão muito familiarizados com seu trabalho, suas gravações e sua complexa história de vida”, diz Wadsworth. “Tivemos a oportunidade de fazer a curadoria de uma das maiores artistas do século XX, e devemos fazer isso com muito cuidado, tanto na recriação de seu repertório fantasticamente diverso como da sua linguagem gestual reveladora e de seu complicado relacionamento com seu público. Estamos todos de maneiras diferentes perto da influência de Callas, porque o trabalho dela teve um impacto enorme em todos os artistas que trabalham com música, ópera, teatro e moda”, completa o diretor.

Maria Callas [Reprodução]
Maria Callas [Reprodução]