Sinfônica Heliópolis faz programa composto apenas de adágios

por Redação CONCERTO 09/08/2019

Em uma pesquisa realizada pela BBC, o Adágio para cordas de Samuel Barber foi votado a música mais triste já composta – e seu uso em momentos como as cerimônias fúnebres do presidente americano John Kennedy ou as homenagens às vítimas dos ataques de 11 de setembro só corroboram a fama da obra, a mais célebre do autor.

E ela abre o concerto de domingo, dia 11, da Orquestra Sinfônica Heliópolis no Theatro Municipal, dedicado exclusivamente a adágios: além da peça de Barber, serão apresentados o movimento lento da Sinfonia nº 3 de Beethoven, o Adagietto da Sinfonia nº 5 de Mahler e o último movimento da Sinfonia nº 6 - Patética de Tchaikovsky. A regência é do maestro Isaac Karabtchevsky.

A programação do Instituto Baccarelli, importante projeto de formação musical e inclusão social, tem também, no dia 18, no Auditório do Masp, mais uma apresentação da Sinfônica Heliópolis, desta vez sob direção do maestro Edilson Venturelli e com a participação do tenor Jean William.

Clique aqui e veja mais detalhes no Roteiro do Site CONCERTO

Leia mais
Colunistas
‘L’italiana in Algeri’, de Rossini: grande elenco, direção e regência, por Jorge Coli
Notícias Pianista Joyce Yang toca Prokofiev com a Osesp
Colunistas Céu, terra e mar – e muita chuva e vento, por Nelson Rubens Kunze
Notícias Uma ‘Flauta mágica’ à luz de nosso tempo

O compositor Samuel Barber [Reprodução]
O compositor Samuel Barber [Reprodução]