Osusp prepara ano sob nova direção 

por Redação CONCERTO 01/12/2018

À frente da orquestra, Fabio Cury quer estabelecer maior conexão com a universidade e o público

A temporada 2019 da Orquestra Sinfônica da USP será a primeira sob a direção artística do fagotista Fabio Cury, que tem como objetivo estabelecer maior conexão com a produção artística e intelectual do Departamento de Música da ECA-USP. 

“A temporada traz obras de compositores da casa, como Mario Ficarelli (com a estreia de seu Concerto para piano, percussão e cordas), Aylton Escobar (com obra inédita, encomendada especialmente para esta temporada de concertos), Silvio Ferraz (Tríptico da passagem) e Ronaldo Miranda (Transfigurações para flauta e orquestra, com Cassia Carrascoza Bomfim, professora da USP Ribeirão Preto, como solista”, diz Cury.

Estão programados também dois concertos em que a Osusp vai se juntar à Ocam, sob regência de Gil Jardim, um deles com a participação também do Coralusp.

Cury adianta que as músicas barroca e contemporânea estarão fortemente representadas na temporada. “Teremos obras de Marisa Rezende e Silvia de Lucca e a participação do coletivo feminino de compositoras do Núcleo de Sonologia da USP, o Sonora, e da Orquestra Errante – grupo dedicado à improvisação livre ”, diz. “Ricardo Kanji vai dirigir o Oratório de Páscoa, no sábado de Aleluia, e Luis Otavio Santos participa de iniciativa inovadora da orquestra de tocar sem regente. Luis liderará ao violino um programa totalmente dedicado a Mozart, em maio. Os solos ficarão a cargo de músicos da orquestra, Claudio Micheletti e Gabriel Marin”. 

Em março, a USP vai inaugurar seu órgão Grenzig na Catedral Evangélica da Rua Nestor Pestana, em concerto que contará com a regência de Valentina Peleggi e a participação de José Luís de Aquino ao órgão. Outros convidados incluem a maestrina Ligia Amadio, com concerto de obras brasileiras com a participação do pianista Hércules Gomes; Catherine Larsen-Maguire, que dirige a primeira audição da Sinfonia nº 12, de Claudio Santoro; o pianista Cristian Budu, com o Concerto nº 2 de Rachmaninov; o maestro Tobias Volkmann, que rege o concerto de abertura da temporada; o maestro Laurence Gay, em acordo de cooperação acadêmica com o  Conservatório Superior de Música de Genebra; e Nicolas Pasquet, da Escola Superior de Música de Weimar, na Alemanha, que fará concertos e um curso de regência.

Fabio Cury [Divulgação]
Fabio Cury [Divulgação]